NOSSA HISTÓRIA

NOSSA HISTÓRIA



 

NOSSA HISTÓRIA

O Colégio Medalha Milagrosa, localizado na Rua Padre João Piamarta no 415, no Bairro Montese, no Município de Fortaleza, Estado do Ceará, até o ano de 2011 era denominado Escola Medalha Milagrosa da Casa de Nazaré porque era mantida pela Casa de Nazaré, instituição de caráter social e filantrópico, que abriga mulheres idosas em situação de desamparo.
A escola surgiu como um pequeno grão de mostarda, cuja semente foi lançada em 1947, num antigo estábulo, que mais tarde foi transformado em sala de aula. Semelhante ao que acontece em terra fértil, a semente germinou e passou a atender crianças carentes do bairro Montese e adjacências, tendo a Sra. Adelaide Salvador como primeira professora.

O número de alunos crescia a cada ano, tornando-se um grande jardim florido de conhecimento, amizade e amor ao próximo. As flores (alunos) e os frutos (o conhecimento) se multiplicaram tanto, que se fez necessário ampliar a estrutura física daquele espaço que se tornaria Colégio de referência em educação. Foram construídas, para tanto, mais salas de aula e também um salão, (hoje, anfiteatro Ir. Cecília Resende) onde, naquela época, serviu de ambiente para a distribuição de sopa, ofertada pelas Irmãs  Vicentinas, saciando a fome de dezenas de pessoas carentes. O salão foi construído em 1950 e inaugurado pela Ir. Cecília Resende, na Festa de Natal, com o pastoril.

Para dar conta do número de alunos, foi contratada mais uma professora: Sulamita Cardoso. O pagamento das professoras era feito mediante a venda das frutas, que eram produzidas no sítio, onde hoje está localizada a Instituição de Longa Permanência para Idosas (ILPI) – Casa de Nazaré, que se mantém por meio de doações de pessoas sensíveis à obra e de campanhas de escolas e universidades.

A Escola passa a funcionar regularmente em 1953, sob a direção da Irmã Helena Borgea (1ª Diretora), que foi substituída em 1954 por Luísa Vieira (Irmã Magna), que permaneceu até 1961, quando assumiu Irmã Maria Iêda de Morais Mendes (In memoriam), cuja gestão se estendeu até 1996, deixando um legado, que todos são unânimes em afirmar: a disciplina.

Naquela época era difícil encontrar uma vaga na escola, que até então contava com 3.000 alunos. De pulso forte e sempre com um sorriso acolhedor, Ir. Luísa fez sua história enraizar-se nesta escola, afirmando que o “verdadeiro educador cresce junto com o jovem”, pois segundo ela, crianças e jovens nos passam grandes ensinamentos. Após a gestão de Ir. Luísa Mendes, várias outras diretoras deram suas contribuições, mantendo a originalidade na missão de educar, criando possibilidades para que os alunos desenvolvam suas habilidades e competências e, principalmente, aprendam valores que levarão para a vida adulta, tornando-se pessoas familiarizadas com o Carisma Vicentino, o que impulsiona à prática do bem.

Nesta perspectiva, aquela pequena semente transformou-se numa grande árvore frutífera, que acolhe famílias de todas as classes sociais, sem discriminação e com a certeza de que seus milhares de ex-alunos honram o nome do Colégio, trazendo seus filhos (as) e netos (as) para serem orientados, educados e evangelizados nas pegadas de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac.

O segredo para o sucesso é uma educação séria, compromissada, capaz de transformar a vida das pessoas e uma equipe de profissionais (colaboradores), que se engaja, se envolve e igualmente assume e vive o Carisma Vicentino, contribuindo, juntamente com os educandos, para a transformação da sociedade, tornando-a mais justa e igualitária. Dessa forma, o Colégio Medalha Milagrosa, dirigido pelas Filhas da Caridade, tem seu papel na história, impulsionado pela fé cristã, tornando-se assim o Colégio que todo mundo ama.